God of War Ragnarok

God of War: Ragnarok recebeu um novo (e por enquanto único) trailer durante o Playstation Showcase de 9 de setembro, e mostrou um pouco mais da narrativa que do que será o segundo e último capítulo da aventura de Kratos e seu filho Atreus, com ambos envolvidos de alguma forma no titular Ragnarok — o fim do mundo de acordo com a mitologia nórdica
Algo que vale destacar nisso tudo é como o trailer mostra Atreus em busca de respostas sobre quem ele de fato é, além de mostrar alguns dos personagens novos que farão parte da jornada.
Por isso mesmo, vamos procurar entender, com base na mitologia nórdica, quem são essas figuras e de que forma eles poderão ter algum impacto na trama.
Recapitulando a história de Loki
Antes de falarmos sobre os novos personagens mais propriamente, é importante contextualizar mais sobre um personagem que conhecemos, mas que recebeu uma nova e inesperada faceta ao fim do game anterior: Atreus, ou Loki para os mais íntimos.Ao fim da história, Atreus e Kratos finalmente alcançam Jotunheim, o reino dos gigantes da mitologia nórdica, indo até a montanha mais alta para jogar as cinzas da mãe de Atreus, Faye. E é lá que ambos descobrem mensagens nas paredes do lugar, mostrando toda a jornada dos dois até aquele momento, assim como um vislumbre do futuro da dupla.

Mais do que isso, uma das partes mais importantes deste mural mostra a mãe de Atreus dialogando com um grupo de gigantes. Ao conversar com eles, ela se refere a seu filho não pelo nome que o conhecemos, mas sim como Loki.
Loki é uma das figuras mais importantes e populares da mitologia nórdica, mas se a ideia que você tem sobre ele vem de sua representação nas obras da Marvel — cinema ou quadrinhos —, tente esquecer (quase) tudo que acha que sabe sobre o Deus da Trapaça.

Ao invés de um simples vilão ou antagonista para os outros deuses e heróis, Loki conta com uma personalidade totalmente caótica. Não maligna, é importante destacar.
Os pais de Loki são Laufey e o gigante Farbauti. Nos registros das Eddas — a coleção de poemas e textos que contam as histórias da mitologia nórdica como as conhecemos — não há uma origem exata de Laufey, e por isso mesmo existe tanto a possibilidade de ela ser uma deusa quanto uma gigante, dentre outros diversos seres presentes na mitologia.


De acordo com as histórias, Loki teve sete filhos, com alguns deles já marcando presença no último God of War, mesmo com Atreus sendo uma criança.
Destes filhos, três deles tem uma mãe em comum, Angrboda: Jörmungandr, a serpente que ronda o mundo e uma das maiores aliadas de Kratos e Loki no God of War de 2018 (literal e figurativamente); Hel, a deusa da morte e guardiã do reino de Helheim, cuja aparência é descrita como um corpo metade belo e metade podre, como se uma parte dela estivesse morta; e, por último, o lobo gigante Fenrir, pressagiado para matar Odin, o Pai de todos, durante o Ragnarok.
Angrboda foi a última personagem revelada no trailer, aparecendo como uma jovem que aparenta ter a mesma faixa etária de Atreus. Na mitologia nórdica, ela é uma gigante de Jotunheim cultuada como a deusa do medo, principalmente por conta de seus três filhos com Loki.

Existem várias versões diferentes do final de Angrboda, mas a maioria delas diz que Odin temia sua capacidade de gerar criaturas completamente aterrorizantes. Uma das histórias diz que Odin a aprisionou, enquanto outra diz que ele queimou o corpo dela, deixando apenas seu coração – que Loki comeria, dando assim à luz seus três filhos.
A mitologia grega e nórdica têm seus próprios deuses com características próprias, mas ambas têm um deus da guerra. Na mitologia nórdica, Tyr é um deus Aesir (muito parecido com Thor e Odin) e, embora ele só tenha feito sua primeira aparição oficial no trailer de GoW: Ragnarok, seu nome e ações foram discutidos em vários momentos do jogo anterior. .


Uma das principais características que caracterizam a aparição de Tyr nas histórias nórdicas é a falta de armas, que ele perdeu para o lobo Fenrir, filho de Loki, que é digno de reconhecimento.
Depois que Aesir baniu Jörmungandr para o fundo do mar e Hel para Helheim, Fenrir foi levado para Asgard para crescer entre os deuses. No entanto, quanto mais o tempo passava, maior e mais perigoso o monstro, com o que a profecia dizia, deixava os deuses cada vez mais amedrontados, sempre prevendo a desgraça e o destino da espécie.

Então os deuses decidiram tentar amarrar Fenrir com correntes, mas o lobo não percebeu. Para fazer isso, eles jogaram um certo jogo, desafiando o lobo em sua força máxima, amarrando-o com uma corrente quebrada por alguns segundos. Na segunda tentativa, Fenrir foi mais uma vez desafiado como uma segunda corda ainda mais forte. Como você deve imaginar, ela se partiu facilmente.FONTE-THEENEMY