Moto G22 é bom Mesmo? Por que Continua vendendo tanto?

 39 total views

 

A linha Moto G continua fazendo muito sucesso entre os fãs da Motorola e, mesmo depois de gerações, há aparelhos que se destacam como os “queridinhos da galera”, seja por suas especificações atrativas ou por um possível custo-benefício. O Motorola Moto G22 — lançado em abril deste ano — é um deles.

  • Revisão do Moto G22 | Telefone de entrada com visual premium
  • Revisão do Galaxy A23 | Celular básico com o pé no meio

O celular é um dos mais procurados nas lojas online e chama muito a atenção por suas especificações, mas o que o torna um aparelho tão atraente e por que é tão procurado?

Sua ficha técnica e como ela funciona na prática realmente justifica essa alta busca? Neste texto, trago essas respostas, para te ajudar a decidir se ele realmente pode ser um bom companheiro no dia a dia.


Siga-nos no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

O Moto G22 é realmente bom? O que mais chama a atenção nele?

Logo de cara, é impossível não destacar o visual do Moto G22 como uma de suas principais atrações. Como já destaquei quando fiz a análise completa do celular, ele tem um design bem agradável, que dá a impressão de ser um celular premium, mesmo sendo um modelo de entrada.

Além disso, seu hardware também chama a atenção no papel. Possui o chipset Helio G37 — que faz parte da linha “gamer” da MediaTek. Essa série de componentes é conhecida por entregar bom desempenho para aparelhos de médio porte mais acessíveis, como o Redmi Note 11 Pro, por exemplo, que possui um Helio G96.

O Moto G22 tem um design bem sofisticado e dá a impressão de ser um celular premium (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Além do chipset, o Moto G22 foi lançado com 4GB de RAM e 64GB de armazenamento interno, mas hoje já temos sua versão de 128GB disponível no site oficial da Motorola. Essa combinação é bastante atrativa para um modelo dessa categoria, principalmente considerando sua faixa de preço atual, que gira em torno de R$ 1.100.

Na prática, porém, o resultado não é o que imaginamos. Mesmo com uma ficha técnica atrativa para a categoria, o Moto G22 não atinge o esperado em termos de desempenho. Apesar do componente que, de certa forma, é voltado para o público gamer, o Moto G22 não tem um desempenho tão bom.

Mesmo com jogos bem otimizados para hardwares mais simples — como CoD: Mobile — mostrou alguma dificuldade em nossos testes. Às vezes, o smartphone engasgava muito e tinha muita perda de quadros – algo que não acontece nem nos celulares mais básicos.

Além do chipset, há outros aspectos que agradam em suas especificações. Até sua tela é interessante para o segmento. Enquanto a maioria dos modelos mais básicos vem com tela de 60Hz, a Motorola optou por uma tela de 90Hz, que teoricamente oferece mais fluidez ao rodar jogos com bastante ação. Mas esse é outro aspecto que não funciona bem na prática, como já destaquei anteriormente.

Conjunto de especificações do Moto G22 também chama atenção no papel (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

A cereja do bolo é a bateria de 5.000mAh. Em teoria, fica exatamente na média para modelos básicos ou intermediários, mas a otimização do sistema e do chipset contribuem muito para que a autonomia seja consideravelmente boa.

Por outro lado, o smartphone não possui recursos e funcionalidades populares, como NFC para pagamentos de proximidade ou resistência à água. Mas isso é comum para modelos básicos – apesar de alguns concorrentes pelo menos oferecerem NFC.

A câmera do Moto G22 é boa?

O conjunto de especificações da câmera do Moto G22 também recebe muita atenção no papel. Para começar, ele conta com um conjunto de quatro câmeras traseiras, com sensor principal de 50 MP, auxiliado por uma lente ultrawide de 8 MP, uma macro e uma lente de profundidade, cada uma com 2 MP. Para selfies, possui uma câmera frontal de 16 MP.

Na prática, isso resulta em imagens muito boas para a categoria, o que torna o Moto G22 um bom smartphone para fotografias não apenas em papel. Mas é importante notar que ele é um modelo de entrada, então sua desenvoltura para fotografias deve ser analisada levando isso em conta.

Confira abaixo alguns exemplos de imagens obtidas com as câmeras do Moto G22:

Câmera principal - Moto G22
Para um celular básico, o Moto G22 tem um bom conjunto de câmeras (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera principal - Moto G22
Para um celular básico, o Moto G22 tem um bom conjunto de câmeras (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera principal - Moto G22
Para um celular básico, o Moto G22 tem um bom conjunto de câmeras (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera principal - Moto G22
Para um celular básico, o Moto G22 tem um bom conjunto de câmeras (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera principal - Moto G22
A câmera ultrawide oferece cores muito vivas e uma imagem muito nítida (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera ultrawide - Moto G22
A câmera ultrawide oferece cores muito vivas e uma imagem muito nítida (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera ultrawide - Moto G22
A câmera ultrawide oferece cores muito vivas e uma imagem muito nítida (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera ultrawide - Moto G22
A câmera ultrawide oferece cores muito vivas e uma imagem muito nítida (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera Macro - Moto G22
Câmera macro surpreende com a nitidez da imagem (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera Macro - Moto G22
Câmera macro surpreende com a nitidez da imagem (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Modo Retrato - Moto G22
O modo retrato com a câmera principal oferece boa qualidade e ótimo corte (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Modo Retrato - Moto G22
O modo retrato com a câmera principal oferece boa qualidade e ótimo corte (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera frontal - Moto G22
A câmera frontal oferece boa resolução com muita luz natural (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera frontal - Moto G22
O modo retrato com a câmera frontal tem um bom corte, mas não faz milagres (Bruno Bertonzin/Canaltech)
Câmera frontal - Moto G22
O modo retrato com a câmera frontal tem um bom corte, mas não faz milagres (Bruno Bertonzin/Canaltech)

Ficha Técnica Moto G22

  • Tela IPS LCD de 6,5 polegadas, resolução HD+ de 1600 x 720 pixels, taxa de atualização de 90 Hz
  • Chipset: MediaTek Helio G37
  • Memória RAM: 4GB
  • Armazenamento interno: 128 GB
  • Câmera traseira: 50 MP (Principal) + 8 MP (ultrawide) + 2 MP (profundidade) + 2 MP (Macro)
  • Câmera frontal: 16MP
  • Bateria: 5.000mAh com carregamento rápido de 15W
  • Cores: preto, branco e azul
  • Sistema operacional: Android 12

O Moto G22 é realmente bom?

Levando em conta todos esses aspectos, vale destacar que, apesar do bom hardware colocado no papel, o Moto G22 não convence tanto na prática. Dessa forma, aparelhos concorrentes — como o Galaxy A23 — podem ser uma alternativa melhor ao celular da Motorola.

Ambos estão em uma faixa de preço muito semelhante hoje — entre R$ 1.000 e R$ 1.300 — e o modelo sul-coreano se destaca por oferecer um desempenho mais aceitável, além de ter suporte para pagamentos sem contato graças à tecnologia NFC embarcada.

Leia o artigo no Canaltech.

Tendências no Canaltech:

  • Asteroide maior que o Pão de Açúcar se aproxima da Terra em novembro
  • Criador do Telegram acusa WhatsApp de usuários de vigilância
  • Os veganos vivem mais do que os comedores de carne?
  • Empresa de segurança lança ferramenta que libera arquivos do ransomware Hades
  • Acariciar um animal de estimação pode beneficiar o cérebro